Orientação para o Ensino Infantil

Hoje vamos iniciar uma série de dois posts sobre Princípios de Aprendizagem Infantil. As dicas são baseadas no Livro “A Criança de 0 a 3 – Orientação para o Ensino”, de Silvana C. Rego e Peggy Jo Smith.

Princípios Gerais de Aprendizagem

1 – Todas as pessoas criadas por Deus são originais, diferentes entre si e devem ser respeitadas.

2 – Cada criança obedece a um ritmo próprio na sua capacidade de aprender.

3 – O ensino deve respeitar a limitação da criança, mas precisa oferecer uma dose de desafio que desperte interesse e curiosidade.

4 – A criança aprende através da própria experiência: ela precisa utilizar as mãos para ver, sentir o gosto, cheirar, ouvir, usar seus sentidos.

5 – É através da manipulação de materiais que a criança adquire subsídios para depois lidar com ideias.

6 – Atividades que estão além da capacidade da criança levam à frustração e intimidação. O sucesso leva a repetições espontâneas, o que fixa a aprendizagem.

7 – A criança pequena fica atenta à voz baixa e suave dirigida a ela diretamente.

8 – A relação afetiva do educador com a criança é primordial para uma participação ativa por parte da criança. Ela imita gestos, atitudes e principalmente os valores da pessoa adulta que lida com ela.

9 – As crianças aprendem, ao mesmo tempo, várias coisas. A associação e correlação de experiências facilitam a aprendizagem e a sua retenção.

10 – A forma mais eficaz e completa de ensino é a baseada num trabalho livre e criador. Isso a desenvolve nos aspectos mental, emocional, social e espiritual.

11 – A aprendizagem da criança depende em muito do interesse que a atividade desperta nela.

12 – A percepção da criança parte do todo para as partes.

13 – Ao elaborar uma atividade com as crianças, devemos saber que ela pode atingir muitos objetivos em várias áreas, bem como um só objetivo pode ser atingido através de muitas atividades.

14 – A aprendizagem baseia-se em experiências anteriores favoráveis.

Áreas de Aprendizagem

De posse desses conhecimentos sobre alguns princípios gerais, vejamos agora, de maneira específica, as áreas de aprendizagem referentes ao ensino religioso. São elas: Deus, Jesus, a Bíblia, a Igreja, a Família, a Própria Pessoa, os Outros, o Mundo Natural.

Essas áreas podem ser agrupadas:

1) Deus – Jesus – Bíblia – Mundo Natural

As atividades elaboradas dentro dessas áreas devem contribuir para que cada criança possa:

– Associar Deus e Jesus com sentimentos de alegria e amor.

– Experimentar momentos de alegria e prazer por saber que Deus a ama e cuida dela.

– Descobrir que pode falar com Deus.

– Desejar agradecer a Deus pelas coisas que Ele criou.

– Pensar em Jesus como uma pessoa que foi bebê, menino, um homem que falou do amor de Deus e que a ama muito.

– Falar sobre Jesus como pessoa que existe, que sente.

– Desejar imitar o exemplo de Jesus.

– Sentir que a Bíblia é um livro especial.

– Saber que é da Bíblia que os professores retiram as histórias sobre Jesus, Deus, pessoas bondosas e a natureza.

– Adquirir conhecimentos de histórias e pensamentos bíblicos que tem significado para ela.

– Explorar e descobrir as maravilhas do mundo como criação de Deus.

– Experimentar momentos de admiração e prazer em suas descobertas na natureza e associá-las ao cuidado de Deus por ela.

– Sentir-se responsável por cuidar das maravilhas que Deus criou para ela e os outros.

2) A Própria pessoa – a Família – os Outros

As atividades elaboradas dentro dessas áreas devem contribuir para que cada criança possa:

– Começar a compreender que é uma pessoa.

– Sentir-se amada e aceita pelas pessoas.

– Descobrir as habilidades do seu corpo.

– Expressar-se livremente, através de sua linguagem.

– Amar-se a si própria e a outras pessoas.

– Começar a compreender que ela tem capacidades e limitações, e que há muitas coisas que ela pode e não pode fazer.

– Sentir-se parte da família que Deus lhe deu.

– Aprender a amar e obedecer aos pais.

– Sentir segurança e amor no seu lar.

– Entender que pode ajudar sua família.

– Saber que pode confiar nas pessoas que a amam.

– Brincar com outras crianças.

– Saber que pode fazer coisas por si própria e para os outros.

– Demonstrar interesse nas outras pessoas.

– Descobrir que as outras pessoas também tem sentimentos e direitos.

– Saber que Deus ama todas as pessoas.

– Pensar nas outras pessoas como amigas.

3) A Igreja

As atividades elaboradas dentro dessa área devem contribuir para que cada criança possa:

– Sentir que a igreja é formada por pessoas que amam e servem a Deus.

– Gostar de estar com os professores e outras pessoas que a amam e se reúnem como igreja de Deus.

– Sentir que quando se reúnem como igreja as pessoas cuidam dela com amor.

– Associar igreja com pessoas amorosas que servem a Deus, que amam Jesus, que estudam a Bíblia, Palavra de Deus e que gostam de música para adorar a Deus.

– Sentir alegria e satisfação quando suas necessidades são atendidas por pessoas da igreja.

– Gostar do dia de reunir-se com a igreja, como um dia especial e alegre.

  • Continue ligado, inscrevendo seu e-mail ao lado direito desta página para receber as atualizações.
  • Ajude a espalhar a mensagem, compartilhando este link em suas redes sociais.

Até a próxima!

você pode gostar também:
4 Comentários
  1. Luana comentou:

    Maravilhoso este blog. Muito Útil.

  2. […] Criança de 0 a 3 – Orientação para o Ensino”, de Silvana C. Rego e Peggy Jo Smith. Clique aqui e confira o primeiro […]

  3. Salete M. Marinho comentou:

    Louvado seja Deus por sua vida Regina Cobra, ótimo conteúdo, mas vibrei quando li sobre a igreja e a criança, uma das minhas preocupações durante um período, foi exatamente isto, que houvesse entre as crianças e a igreja um forte laço. Muito obrigada pelas instruções.

    1. Regina Cobra comentou:

      Agradeço a Deus por sua vida dedicada e pelo apoio que tem dado. bj

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Contact Us